Sabe-se que os desenvolvedores devem assinar um contrato junto a Apple para poderem publicarem suas criações na AppStore, que diz o que pode e o que não pode ser feito. Porém, esse contrato deve ser mantido em sigilo.

Mas, sempre escapa. A Electronic Frontier Foundation, que defende os direitos da liberdade de expressão, teve acesso ao contrato e fez questão de divulgá-lo. As páginas do mesmo vieram da NASA, que se baseou no fato de que a legislação dos Estados Unidos garante livre acesso a tais informações.

Com isso, podemos ainda mais ver o quão rígida a Apple é. Pra começar, o contrato diz que os Apps feitos com o SDK do iPhone só podem ser disponibilizados na App Store, mesmo que ele não tenha sido aprovado. Outra cláusula diz que a maçã banca só 50 dólares por processo movido contra o desenvolvedor e seu App.

As restrições não param por ai. Praticamente tudo está em contrato. Aplicativos que modifiquem bruscamente o iPhone OS (temas, e afins) não podem ser criados e muito menos disponibiliza-dos.

Isso mostra com o a Apple é, e nos trás respostas para todas as nossas perguntas relativas à existência de inúmeras restrições (ou ausência de quem as quebre “legalmente”). Não temos o que mais queremos (tudo o que existe no Cydia) ‘legalmente’ simplesmente porque a Apple proíbe que sejam feitos.

via