Uma escola norte-americana está sendo acusada de usar as webcams dos MacBooks para espionar os alunos, quando estes não estão no período de aulas. A acusação tem como base um sistema de monitoramento remoto que a Apple disponibiliza apenas para fins corporativos.

A justiça americana está investigando um caso na Pensilvânia, iniciado pelos pais de um aluno que teria sido repreendido pela escola por um comportamento em sua casa, comprovado por uma foto tirada pela iSight do MacBook do aluno, que foi fornecido pela escola.

A escola alega que apenas utilizam a câmera dos MacBooks em caso de perda ou roubo, informação que não parece ser verídica, pois outros estudantes alegaram que suas iSights eram ativadas ocasionalmente. Quando faziam contato com a instituição, alguns eram informados que o problema era uma falha técnica.